quinta-feira, 7 de abril de 2011

Iran e a cidade do sol

Semana passada, resolvi gastar um pouco, afinal já fazia um tempinho que não me presenteava, então passei na leitura e comprei alguns livros...

O último “A cidade do sol”, li em menos de cinco dias (isso é pouco pra mim que leio bem devagar), ele foi lançado em 2007,mas nunca tive coragem de encará-lo,pois ele conta a história de duas mulheres,uma Iraniana e a outra Afegã, que se encontram por acasos(trágicos)do destino.A história tem como pano de fundo(quase de frente),as guerras enfrentadas pelo Afeganistão e a devastadora história de Cabul,ou seja,daqueles de usar lencinho para enxugar a enxurrada que virá depois.
O legal de tudo isso,é que eu e Ricardo resolvemos sair para comemorar a fase boa que chegou para nós e por uma simples coincidência,fomos no Amigo do Rei,ó único restaurante Iraniano do Brasil.
Agora imagina você,eu estava em fase de leitura do meu livro(porque vira nosso quando a gente se envolve muito),cujo autor é bastante detalhista e descreve o Iran de uma forma que você quase passa por lá,me senti a própria Marian,personagem em questão.
O clima do restaurante é muito acolhedor, a casa é daquelas bem antigas do bairro Santo Antônio, dessas que combinam mesmo com o tema, e quando entramos, uma musiquinha típica estava tocando no fundo, sentimos que o silencio era necessário e um senhor muito simpático veio nos atender (mais tarde descobriríamos que ele é o marido da chefe Iraniana,dona do restaurante e um artista renomado).Ele mesmo nos explicou sobre como se portar a mesa, fazendo muita questão de nos passar tudo desse país,nos entregando seu cardápio pequeno e modesto.
Modesto é a palavra que define bem o local, quase tosco diria meio casa de vó, cheio de altares, com oferendas e tudo mais. Só que a modéstia só se aplica a decoração, a comida é simplesmente maravilhosa, diferente claro, surpreendente, pelo menos pra mim que sou bem enjoada.
Na parede, toda uma história de um mix de cultura, Brasil e Iran se confrontam em paz, e silenciosamente, somente ao tilintar das panelas de Nasrin Haddad Battaglia e a voz suave de Cláudio Bataglia, nos mostrando suas obras expostas na parede.
Vale à pena ir e voltar e vale mais a pena ler o livro, ir e voltar... Nossa falei  muito, as fotos abaixo falaram um pouquinho mais

o nome do prato que pedimos
o prato era um sovado de carne de carneiro com lentilhas temperados com ervas e especiarias,servido com pepino e tomate,pra acompanhar,pão folha
bebida chamada Sekanjebin,a base de xarope especial,água com gás e pepino,muito boa!
o restaurante possui apenas sete mesas
Ricardo e Claudio logo atrás
o altar com oferendas
atrás da cortina persa,a cozinha de Nasrin
logo atrás de mim,um outro altar com tomates e velas
o cardápio
tudo lá é assim, parece que estamos na casa de nossa avó
a entrada,as fotos ficaram meio ruins,pois foram tiradas do iphone
"Amigo do Rei" aberto de Terça a Sábado para jantar das 20:00 às 23:00hs
Belo Horizonte
Rua Quintiliano Silva, 118 - Santo Antônio
Tel.: (31) 3296 3881
Para saber mais entre no site: www.amigodorei.com.br

Agora estou lendo a Pequena Abelha e em breve vou ler Desculpa se te chamo amor, por falar nele, lembra que postei aqui a dica pra ver o filme?Scuza se ti chiamo amore! Leia o livro e veja o filme, um bom programa para os dia de chuva,fui...

Todos na promoção da Leitura


Um comentário:

Ricardo disse...

Passei aqui para agradecer pelo genial finde e desejar que tenhamos vários outros como esse, fonte de inspiração e memorias!
Beijos de Damasco